sábado, 13 de agosto de 2011

Querido Diário,

quando falo que de tudo aconteceu, foi de TUDO mesmo... a gente chegou a sair no tapa, no puxão de cabelo... começavamos, acabavamos.. começavamos, acabavamos...
mas.. tudo começou com um grande erro meu. eu traí ela....
foi a pior coisa que podia fazer pra alguem, principalmente pra ela... pra pessoa que mais amava.
foi com uma garota que mal conhecia... que dizia conhecer, mas hoje se tornou a minha inimiga numero 1, mas isso eu conto depois... foi um beijo. apenas isso. mas foi o bastante para acabar com a minha vida alí naquele momento. eu tava bebada, sei que não é desculpa... mas realmente estava.. mas nada justifica o que eu fiz. quando me deparei no que tava fazendo, simplesmente virei as costas... e começei a chorar..


eu e essa garota, prometemos não contar nada... mas eu não consegui. sou uma pessima mentirosa. e nunca escondi nada dela. sempre contei tudo. é ironico dizer isto, mas é a pessoa a quem eu mais respeito, aconteça o que acontecer-
achava que o minimo que podia fazer era ela saber...
quando contei, as minhas mãos suavam, as minhas pernas tremiam... e os olhos dela... os olhos dela olhando pra mim... que dava medo. foi naquele minuto que o meu chão se abriu.
um buraco negro me puxava naquele momento. um sentimento horrivel.
ela praticamente passou a me odiar, com toda a razão claro.. mas eu tava tão arrependida, 'aonde que eu tava com a puta da minha cabeça pra fazer algo desse genero?!'
ficamos mal, muito mal por uns tempos...


nossa, como doia.. nunca pensei que errar doia tanto.. é um sentimento que eu não desejo pra ninguem... eu errei , aprendi com o meu erro. ate porque aquilo nao significou nada pra mim, eu prefiro chamá-lo 'tentação da carne'... mas foi estupido... completamente absurdo aquilo que eu fiz... mas o que mais doia simplesmente era o facto de a ter perdido.... a mulher que eu amo, que eu mais queria e quero nesse mundo ...

a gente acabou por voltar depois de um longo tempo. mas antes disso eu lutei por ela, nunca tinha lutado tanto por alguem, mas sabia que ia valer a pena.. ela é tudo pra mim.


a situação melhorou parcialmente, nao digo completa... mas aí que era o episodio da "minha inimiga numero 1" a garota a quem eu beijei...
basicamente essa cabra cabeçuda, inventou mais daquilo que devia... não só ela... que engraçado... aí começaram a surgir tanta coisa.. que eu fiz e deixei de fazer...
os amigos dela falavam e ainda falam mal de mim... já fui chamada de todos os nomes existentes a face da terra, e até mais.... ate já me lançaram feitiços.. eu vou te contar.... que palhaçada que essa historia virou, derepente um mundo que era só nosso começou a ser invadido por desconhecidos, cada um entrava e dava a sua versão da história, todas diferentes..

mas eu, eu simplesmente continuei, de cabeça erguida, sabia do meu erro. mas eu sou humana pusha.... sabia aquilo que tinha acontecido, e aquilo que tinha feito, e não vou assumir mais do que a minha culpa.. "a boca do povo não tem freio" diz tudo
todos falavam, falavam, diziam que eu nao valia nada, que ia acabara sozinha... doia de ouvir, porque a eu sei quem eu sou, e os que tavam comigo tambem... não era nada disso que eles falam... mas caramba, porque o ser-humano é tão cruel?

e isso aconteceu ainda quando eu ja tinha ido embora... eu morava em portugal.. ela é portuguesa... mas eu sou brasileira. morava lá. só que os meus pais quiseram vim morar para Inglaterra e aqui estou eu...

o mais dificil é provar alguma coisa pela distância... é se defender, porque eles so falavam pelas costas.. era o que mais me irava. mas como disse, segui com a consciência tranquila.


e ela continuava me odiando.. ate começar a namorar a minha "inimiga numero 1" a garota que eu beijei

se um buraco já se tinha aberto no chão, eu já tava no -1. parecia que o meu mundo tava caindo cada vez mais...

foram tempos dificeis... tempos bastantes dificieis.. eu via ela.. com demontrações de afecto pelas redes sociais... com aquela cabra descabelada... pusha, que dó... caia no choro..
chegava a me perguntar: "pusha, será que eu mereço isso?"

talvez merecesse, não sei.. mas eu tava mal..

foi entao que passarm uns 3 meses... e a gente sem se falar. o odio continuava, ela me chamava de tudo quanto era nome.... pusha e eu alí, ouvindo aquilo da mulher da minha vida... caramba.


ouve um belo dia, que eu depois de chorar baba e ranho por 3 horas seguidas, só pensando nela e deprimindo com uma musica. não sei o que ouve na minha cabeça... mas eu decidi enviar a musica e a letra para ela, falava exactamente o que eu sentia, como eu tava... Bon Jovi- Always.
enviei, num click, mas quando vi: "mensagem precessada com sucesso" foi do tipo: kjs1snjeokjkjisoqinoko..... morte total... começei a tremer, a ranhir os dentes de frio, e de nervoso ao mesmo tempo... com medo que ela me insultasse de novo.. ou de ela nao responder, ou de me dar um tiro atraves do computador...
não sei...
e foi aí que tudo começou de novo.... ela respondeu. eu dei um pulo dó sofá tão grande que quase derrubei a televisão. nossa que alegria...

eu sou louca por ela, eu ja nem digo amar, mas sim loucura, ela é a minha vida, metade de mim....

amanha eu conto o resto... ainda tem muito pela frente.... se eu escrevesse o meu amor com ela.. iria dar um livro. por mais erros que aqui foram cometidos.. iria ser a historia de amor mais bonita de todo o sempre....

com amor, Lu

7 comentários:

Anônimo disse...

SEU AMOR É TÃO FORTE QUE VC IRÁ SE SUPERAR AME BASTANTE

Cereja disse...

EU GOSTEI

lariii disse...

lu a história é real? sua?

ou vc escreve histórias ???



bjsss

Lu disse...

oi Lari. a história é minha mesmo. desde que eu começei a gostar de uma garota.. o meu confronto diario com a vida. parece que desde aí tudo mudou. mas é como eu digo, se pudesse escrever a minha vida, daria uma bela história de um livro, rsrs.. obrigada pela leitura , beijos.

Lu disse...

oi cereja, obrigada (:

Lu disse...

Anonimo: obrigada pela força !!
pode deijar vou amar bastanteeee, além demais, é dele que a gente vive, né (: beijos e felicidades pra voce !

Lu disse...

deixar*